Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

andanhos

08
Ago16

Por terras de Portugal - Braga de André Soares:- A capela dos Monges na Igreja dos Congregados

andanhos

 

 

POR TERRAS DE PORTUGAL

 

BRAGA DE ANDRÉ SOARES

 

A CAPELA DOS MONGES DA IGREJA DOS CONGREGADOS

 

 


Quem foi André Soares (Braga, 1720-1769)?

 

Na obra de Eduardo Pires de Oliveira, com fotografia de Libório Manuel silva, com o título «Braga de/by André Soares», Eduardo de Oliveira afirma que “foi um criador de obras de arquitetura, talha, ferro, desenho e cartografia. A sua grande capacidade financeira permitiu-lhe não precisar de trabalhar. Como era corrente na época, as suas obras dividem-se por duas correntes artísticas: o rococó e o tardo barroco. O rococó chegou a Braga pela mão do arcebispo D. José de Bragança (1741-1756). André Soares beneficiou do seu apoio ao ser escolhido para desenhar o novo Paço Arquiepiscopal, em que oscilou entre o gosto joanino e os novos valores do rococó. Rapidamente, porém, mudou para o novo estilo, de que são exemplos a nova fachada da Capela de Santa Maria Madalena da Falperra e o Palácio do Raio. [obras de que brevemente falaremos num outro post]. Mas também fez muito rapidamente uma nova inflexão decisiva: as obras de arquitetura passaram a ter um desenho que se revê num tardo barroco desornamentado e as de talha mantiveram-se num rococó vibrante, ideias que manteve até ao final da sua vida. A sua obra está espalhada um pouco por todo o Norte de Portugal: Braga, Viana do Castelo, Ponte de Lima, Arcos de Valdevez, Vila Verde, Esposende, Guimarães e Vila Nova de Gaia (esta perdida)."

 

Na verdade, André Soares foi o maior vulto do rococó português. Autodidata, desenvolveu a sua arte a partir de gravuras de Augsburgo. A sua obra é profundamente emotiva. A capela dos Monges, no Convento dos Congregados, em Braga,  pode contar-se entre as mais impressionantes do tardo barroco na Europa. E é precisamente esta obra que vamos mostrar ao(s) nosso(s) leitor(es).

 

Citemos, uma vez mais, Eduardo Pires de Oliveira: “A capela dos Monges, situada no primeiro andar,

01.- AAA_0791

num local acima da capela-mor da Igreja [dos Congregados]

02.- AAA_0790

é, sem dúvida alguma, a obra-prima de André Soares [...] De pequeníssimas dimensões, não albergará mais de uma vintena de pessoas em simultâneo.

03.- AAA_0782

Apesar da sua exiguidade, é formada por todas as partes de qualquer templo:

04.- AAA_0778

nave, transepto e capela-mor,

05.- AAA_0786

embora esta seja na verdade muito diminuta. Em contrapartida, tem na nave um extraordinário lanternim.

06.- AAA_0772

(Aspeto geral)

07.- AAA_0787

(Pormenor)

Apresenta ainda uma característica invulgar no Minho: a estrutura e os motivos decorativos que a ornamentam são em estuque [e não em pedra]”.

 

Quase a terminar, o autor avalia: “[...] é fácil perceber-se que é um trabalho do final da vida, podendo mesmo pensar-se que é o seu testamento artístico”.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Gostei muito da descrição. Faço só o reparo em rel...

  • Anónimo

    Passei alguns dias nessa casa no Verão de 1990, qu...

  • Anónimo

    Bom dia moro em Portugal precisa de ajuda.....

  • Anónimo

    Não era caldeirada de javaliNão foram os caçadores...

  • Anónimo

    Com autorizaçao de quem é que escreveu este post?

A espreitar

online

rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
blog-logo