Sábado, 7 de Julho de 2018

Memórias de um andarilho - Parque Nacional da Peneda-Gerês:- Trilho da Preguiça

 

 

MEMÓRIAS DE UM ANDARILHO

 

PELO PARQUE NACIONAL DA PENEDA-GERÊS (PNPG)

01.- 2018.- Trilho da Preguiça (182)

 

TRILHO DA PREGUIÇA

(Percurso Interpretativo da Ecologia do Carvalhal)

 

11.abril.2018

(Parte da tarde)

 

 

 

 

Subo, subo, subo.

Mas de nada vale.

Não consigo chegar ao cimo de qualquer Sinai de transfiguração.

A sarça ardente que me envolve em cada píncaro

É um delírio dos sentidos exasperados pelo próprio cansaço.

As tábuas da lei que me ficaram nas mãos depois do transe

São as mesmas tristes normas de vida que já trazia.

A abóbada celeste desenvolve-me apenas

o eco da minha própria humanidade.

 

Gerês, 16 de Julho de 1976

Diário XII, Miguel Torga

 

 

Este trilho, que se desenvolve na Encosta do Arnado, na vertente esquerda do vale da Falha Geológica do Gerês-Lobios, na serra do Gerês e no seu vale, é composto por três traçados, quase todos coincidentes na maior parte do trajeto. O mais difícil e longo, com cerca de 5,5 Km é o «trilho I», com uma ingreme subida logo no início. Os «trilhos II e III» são mais curtos e de menor grau de dificuldade, conforme o leitor pode ver no panfleto do Trilho da Preguiça - Percurso Interpretativo da Ecologia do Carvalhal (PR 10).

 

Através da copa das árvores, localizamos as manchas de pinhal, carvalhal,

02.- 2018.- Trilho da Preguiça (147)

medronhal,

03.- 2018.- Trilho da Preguiça (18)

outras resinosas, matos e espécies infestantes, como as mimosas (Acacia dealbata).

04.- 2018.- Trilho da Preguiça (96)

É nesta grande diversidade de coberto vegetal que reside o principal interesse desta região, e principalmente deste trilho, para a Educação Ambiental.

 

Neste trilho, encontrámos formações vegetais com uma diversidade de espécies e uma estrutura relativamente próximas da vegetação primitiva que cobria toda a região – o carvalhal.

05.- 2018.- Trilho da Preguiça (60)

Apresenta outras formações vegetais que evidenciam o impacte de atividades humanas, nomeadamente a agricultura, a pastorícia,

06.- 2018.- Trilho da Preguiça (187)

a produção florestal, o fogo

07.- 2018.- Trilho da Preguiça (82)

(Cenário I)

08.- 2018.- Trilho da Preguiça (101)

(Cenário II)

09.- 2018.- Trilho da Preguiça (85)

(Cenário III)

e a introdução de espécies exóticas sobre a cobertura vegetal original.

10.- 2018.- Trilho da Preguiça (83)

(Cenário I)

11.- 2018.- Trilho da Preguiça (12)

(Cenário II)

Sob a copa do carvalhal ou do medronhal, apesar do esforço, principalmente na subida, sentíamos a sombra,

12.- 2018.- Trilho da Preguiça (115)

a frescura do ar,

13.- 2018.- Trilho da Preguiça (114)

o burburinho da água na ribeira ou a brisa que movimenta a folhagem.

14.- 2018.- Trilho da Preguiça (36)

(Cenário I)

15.- 2018.- Trilho da Preguiça (64)

(Cenário II)

Por isso, este é um habitat hostil para muitas espécies, para todas aquelas que não toleram a sombra.

 

Chama-nos a atenção o panfleto, acima citado, que nenhum dos nossos sentidos deverá ficar indiferente e, consequentemente, devem estar atentos.

 

Positivamente caminhámos ao nosso ritmo – pausado – , não só para apreciar a natureza da floresta primitiva dos nossos antepassados, como também para a captar com a nossa objetiva. Não sucessivas pausas que íamos fazendo, também para recuperar o folego da subida, principalmente da primeira parte do percurso, foi bem verdade a sensação de sermos parte integrante desta peculiar natureza, pisando  um território – o carvalhal, a nossoa floresta primitiva - onde os nossos antanhos aqui viveram as suas vidas, sentindo-nos parte integrante das mesmas. Aqui, o sentido de comunidade do passado, ainda hoje, para nós, faz todo o sentido.

16.- 2018.- Trilho da Preguiça (26)

Na verdade, estamos de acordo com o(s) autor(es) do panfleto deste trilho quando nos alertam de que o carvalhal é uma parte do nosso património natural que urge preservar, não apenas pela sua diversidade vegetal ou pela forma como valoriza a nossa paisagem, mas também, pela diversidade animal que abriga e sustenta.

17.- 2018.- Trilho da Preguiça (23)

(Cenário I)

18.- 2018.- Trilho da Preguiça (124)

(Cenário II)

O Homem tem sido o principal agente desestabilizador e responsável pelas ações agressivas neste ecossistema.

19.- 2018.- Trilho da Preguiça (117)

Estas intervenções desestabilizaram, total ou parcialmente, as condições ambientais existentes e, como consequência, toda a comunidade acabou por ser eliminada e substituída por outra, que pouco ou nada tem em comum com a anterior, dando origem a comunidades degradativas, ditas de regressão – os matos – como os tojais, giestais, urzais e carquejais dominados, respetivamente, pelo tojo (Ulex sp.), giesta (Cytisus sp.), urze (Erica sp.) e carqueja (Chamaespartium tridentatum).

20.- 2018.- Trilho da Preguiça (107)

Outras estão ocupadas por áreas agrícolas e de silvicultura, como os pinhais (Pinus pinaster e Pinus sylvestris) e eucaliptais.

21.- 2018.- Trilho da Preguiça (105)

Toda esta biodiversidade, que constitui agora um património natural, biológico e genético, de um valor  incalculável, deve ser preservado e transmitido às gerações vindouras. Não o devemos degradar mais!...

22.- 2018.- Trilho da Preguiça (99)

Descrevamos sumariamente este nosso trilho.

 

O percurso («trilho I») que fizemos é de tipologia circular, com uma duração média de 3 horas.

 

Foi a sua dificuldade inicial que nos sugeriu a entrada do Diário XII, de Miguel Torga, acima citada.

 

O trilho inicia-se junto da Casa da Preguiça – daí o nome do trilho.

23.- 2018.- Trilho da Preguiça (1)

e após baixar ligeiramente até perto da Curva da Morte,

24.- 2018.- Trilho da Preguiça (130)

penetra na floresta

25.- 2018.- Trilho da Preguiça (6)

ascendendo de uma cota de 665 metros até aos 852 metros,

26.- 2018.- Trilho da Preguiça (102)

(Ponto I)

27.- 2018.- Trilho da Preguiça (110)

(Ponto II)

28.- 2018.- Trilho da Preguiça (104)

(Pormenor - Cabeça de serpente)

passando por zonas de pinhal e carvalhal secular.

29.- 2018.- Trilho da Preguiça (94)

(Cenário I)

30.- 2018.- Trilho da Preguiça (109)

(Cenário II)

31.- 2018.- Trilho da Preguiça (131)

(Cenário III)

A partir daqui, o trilho inicia um percurso descendente que o leva a atravessar a estrada nacional EN 308 em direção à Cascata de Leonte,

32.- 2018.- Trilho da Preguiça (123)

(Cenário I)

33.- 2018.- Trilho da Preguiça (144)

(Cenário II)

34.- 2018.- Trilho da Preguiça (146)

(Cenário III)

passando pelo ribeiro da Cantina,

35.- 2018.- Trilho da Preguiça (164)

(Cenário I)

36.- 2018.- Trilho da Preguiça (166)

(Cenário II)

37.- 2018.- Trilho da Preguiça (160)

(Cenário III)

pelo curral do rio Gerês (Curral da Mijeceira),

38.- 2018.- Trilho da Preguiça (148)

pela peculiar ponte de madeira

39.- 2018.- Trilho da Preguiça (191)

sobre o rio Gerês,

40.- 2018.- Trilho da Preguiça (242)

atravessando parte da calçada portuguesa ali existente.

41.- 2018.- Trilho da Preguiça (176)

até subir ligeiramente e indo ter à  cascata de Leonte.

42.- 2018.- Trilho da Preguiça (199)

(Perspetiva I)

43.- 2018.- Trilho da Preguiça (202)

(Perspetiva II)

44.- 2018.- Trilho da Preguiça (213)

(Perspetiva III)

45.- 2018.- Trilho da Preguiça (232)

(Perspetiva IV)

Daqui, voltamos para trás

46.- 2018.- Trilho da Preguiça (243)

até á indicação da cascata da Laja, por um antigo caminho florestal que ligava as Caldas do Gerês e a Portela de Leonte,

47.- 2018.- Trilho da Preguiça (152)

para, de novo começamos a perder altitude até perto do rio Gerês,

48.- 2018.- Trilho da Preguiça (198)

caminhando sempre pelo carvalhal.

49.- 2018.- Trilho da Preguiça (183)

O trilho leva-nos ao cural da Laja,

50.- 2018.- Trilho da Preguiça (201)

ao ribeiro da Laja, passando por uma ponte de madeira, junto da cascata da Laja,

51.- 2018.- Trilho da Preguiça (203)

 (Perspetiva I)

52.- 2018.- Trilho da Preguiça (254)

53.- 2018.- Trilho da Preguiça (251)

(Perspetiva III)

54.- 2018.- Trilho da Preguiça (263)

(Perspetiva IV)

já perto do final do percurso.

 

Subindo agora um pouco, chegámos ao fim do nosso percurso.

55.- 2018.- Trilho da Preguiça (214)

Atravessando a estrada, deixámos a Casa da Preguiça ao lado

56.- 2018.- Trilho da Preguiça (216)

e, entrando no carro, fomos em direção à Vila do Gerês.

 

Andámos 5, 150 Km, em 2 horas e 40 minutos,

57.- Trilho da Preguiça (2)

Tendo em conta a velocidade e a elevação registadas pelo nosso app S Health, de acordo com gráfico que se mostra.

58.- Trilho da Preguiça (3)


publicado por andanhos às 15:17
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 10 seguidores

.rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

.Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
21
22
23
24
25

26
27
28
29
31


.posts recentes

. Versejando com imagem - V...

. Memórias de um andarilho ...

. Ao Acaso... O que resta d...

. Versejando com imagem - A...

. Versejando com imagem - J...

. Versejando com imagem - C...

. Versejando com imagem - V...

. Palavras soltas - Sistelo...

. Memórias de um andarilho ...

. Memórias de um andarilho ...

.arquivos

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.A espreitar

online

.links

.StatCounter


View My Stats
blog-logo