Sexta-feira, 18 de Maio de 2018

Memórias de um andarilho - Caminho Português Interior de Santiago - 5ª etapa (Allariz-Ourense)

 

 

MEMÓRIAS DE UM ANDARILHO

 

CAMINHO PORTUGUÊS INTERIOR DE SANTIAGO

08.maio.2017

 

5ª etapa:- Allariz-Ourense

00.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (228)

Tomámos o pequeno-almoço na Pousada Torre Lombarda. Os pastéis de Chaves da véspera fizeram parte do nosso repasto matinal.

01.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (15)

Saímos da Hospedaria Torre Lombarda.

02.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (26)

Demos uma última vista de olhos ao recinto exterior.

03.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (30)

Do alto em que estávamos, víamos o rio Arnoia, lá mais em baixo. E «botámo-nos» a Caminho, atravessando as ruas de Allariz em direção

04.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (35)

à ponte romana de Vilanova.

05.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (33)

(Pormenor)

Depois de Allariz sucede-nos Frieira. Atravessámos a freguesia de Santiago de Folgoso, passando por Roiriz de Abaixo, Roiriz de Acima, Rubiás, Espiñeiros, Turzas e A Vila. São pequenas aldeias. Encantou-nos uma ou outra pela sua cantaria.

06.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (65)

 Infelizmente, a maioria delas, estão abandonadas. Terras de gente velha («maior»), teimando no cuido e amanho das suas courelas.

07.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (69)

Em pouco menos de 8 Km estávamos em Santa Mariña de Augas Santas.

 

Santa Mariña de Augas Santas é uma terra já nossa conhecia, aquando de um passeio realizado pela Associação de Fotografia e Gravura «Lumbudus».

 

Fizemos um ligeiro desvio à nossa «rota» para vermos (e nós revivermos), mais em pormenor, esta terra, com os nossos companheiros de jornada.

 

Fizemos, assim aqui, uma pequena pausa para reforço do nosso pequeno-almoço

08.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (108)

e para vermos o interessante conjunto religioso, (composto pelo seu popular santuário, em estilo românico,

09.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (99)

tendo ao lado o antigo paço de verão do Bispo de Ourense,

10.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (87)

a segunda fonte de Santa Mariña,

11.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (98)

tendo ao lado o seu secular e já carcomido carvalho, com o Rod no seu «ventre»)

12.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (96)

etnográfico

13.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (107)

e arqueológico.

 

Santa Mariña foi uma mártir da época romana. Sua vida se mistura entre a hagiografia, a lenda e a tradição. Trata-se de um culto bem antigo que nos chegou até hoje, como esta terra o prova. Pena foi a Igreja/santuário estar fechada. Nossos companheiros do Caminho teriam gostado do que nela lá se encontra!

 

Como não podia deixar de ser, não podíamos sair desta terra sem vermos, percorrendo o seu espetacular bosque de carvalhos «sagrados»,

14.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (124)

a basílica da Assunción,

15.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (134)

inacabada, do século XIII, com o forno da Santa na sua cripta; a célebre «Pioca» e o «Carvallo»

16.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (128)

e, naturalmente, a sua «rocha-boleto».

17.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (140)

Depois de nos acercarmos do Castro Armea, fomos desembocar na calçada romana, uma derivação da Via XVIII, do Itinerário Antonino, enfiando-nos, no meio de algumas dúvidas, no «trilho» do nosso Caminho.

 

Se o leitor quiser ter uma informação mais pormenorizada acerca deste conjunto de Santa Mariña de Augas Santas, recomendamos vivamente a leitura do sítio da internet – Galicia puebo a puebo – Santa Mariña de Augas Santas, Allariz.

 

O nosso «Bloco de Notas» dá-nos conta que, enquanto andávamos às voltas pelo bosque de carvalhos «sagrados», à procuras das setas ou vieiras do nosso Caminho, perdemos, pela calçada romana, a «pen» onde levámos a música para ouvirmos durante o Caminho. Ficámos desolados. Voltámos à calçada romana para a procurarmos. Mas não a encontrámos. A páginas tantas, na nossa traseira, vem o Rod exibindo o «troféu» na mão. Respirámos de alívio. E comentávamos que o Rod dava bem para «Caça Tesouros».

 

Até aqui estávamos encantados com o percurso do nosso Caminho.

 

De Santa Mariña de Augas Santas a Pereiras percorremos uns escassos 4 Km.

 

É exatamente nesta localidade de Pereiras, onde fizemos uma curta pausa num bar para bebermos uma cerveja,

18.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (158)

que a variante do Caminho da Via de la Plata ou Caminho Sanabrês, vindo de Laza, que desemboca aqui com a nossa variante.

 

A partir de Pereiras (concello de Taboadela), encaminhamo-nos para o município de San Cibrao das Viñas, passando pela A Castellana e a Ponte Nolla.

 

Andar no município de San Cibrao das Viñas, e pelo seu polígono industrial, é uma autêntica «chatura». Só asfalto, asfalto… num nunca mais acabar!

19.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (172)

Deste alto, a cidade de Ourense espera-nos.

20.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (189)

Antes de entrarmos no núcleo urbano de Ourense, passámos por San Breixo de Seixalbo.

 

Deixamos aqui ao leitor(a) algumas imagens deste bonito núcleo de Seixalbo, como este pormenor exterior da sua igreja matriz,

21.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (210)

E do seu casario.

22.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (195)

 (Pormenor I)

23.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (207)

(Pormenor II)

24.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (208)

(Pormenor III)

Depois desta descida,

25.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (217)

em pouco tempo entrávamos em Ourense, pela avenida de Zamora. E continuava o caminhar pelo asfalto, por uma enorme avenida, seguindo-se a rua de Nossa Senhora da Sainza e, mais no alto, a rua de Péña Trevinca.

 

Positivamente, chegámos ao albergue, em São Francisco, que fica nas proximidades do cemitério que leva o mesmo nome, todo roto.

26.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (226)

Um albergue com muita gente. Aqui acabavam-se as mordomias de Verín, Viladerrei e, claro está, da Hospedaria Torre Lombarda, em Allariz.

 

Neste simples, e «à pinha», albergue, acomodámo-nos como pudemos. Tomámos banho. Descansámos um pouco.

 

Após um ligeiro descanso, descendo umas escadas todas «pichadas» de grafites, fomos para o centro da cidade, para o seu centro histórico.

27.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (231)

Pousámos numa esplanada na praça Madalena,

28.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (239)

na qual impera um cruzeiro com a figura da Madalena.

29.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (241)

Sempre que vamos à Catedral de Ourense, o seu zimbório exterior fascina-nos.

30.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (234)

Demos uma volta depois pela Praça Maior,

31.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (244)

(Perspetiva I)

32.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (245)

(Perspetiva II)

33.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (246)

(Perspetiva III)

34.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (248)

(Perspetiva IV)

com a sua «movida» diurna,

35.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (242)

até que fomos ter a uma rua de tapas, onde aí comemos.

 

Não dispensámos uma ida ao célebre e afamado Café Latino.

36.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (255)

Acabados de comer, subimos escadas e fomo-nos deitar.

37.- CPIS - 5ª etapa (Allariz-Ourense) (263)

Em 2012, quando fazíamos a reportagem deste Caminho levado a cabo já em 2007, quanto à cidade de Ourense, fizemos um Destaque, com 6 posts. Temos imensa pena que algumas fotografias  tenham desaparecido dos posts!  Os assuntos abordados foram os seguintes:

 

Caso tenha interesse, deixamos à consideração do leitor(a) algum destes posts.

 

Apresentam-se os dados desta 5ª etapa referentes à distância percorrida e respetiva duração

38.- 5ª etapa 01

bem assim da nossa velocidade e da elevação do percurso.

39.- 5ª etapa 02

Deixamos ao visionamento dos nossos(as) leitores(as) o diaporama sobre esta

 

5ª ETAPA DO CAMINHO PORTUGUÊS INTERIOR DE SANTIAGO (ALLARIZ-OURENSE)

 


publicado por andanhos às 10:30
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 10 seguidores

.rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

.Novembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17

18
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Versejando com imagem - A...

. Versejando com imagem - E...

. Ao Acaso... Caminhar, a p...

. Versejando com imagem - C...

. Versejando com imagem - P...

. Ao Acaso...O espírito bar...

. Versejando com imagem - I...

. Memória de um andarilho p...

. Memórias de um andarilho ...

. Vesejando com imagem - Am...

.arquivos

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.A espreitar

online

.links

.StatCounter


View My Stats
blog-logo