Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

andanhos

andanhos

Gallaecia:- Pelos Caminhos de Santiago na Galiza - Caminho Inglês - 6ª e última etapa - Sigüeiro-Santiago de Compostela

 

01.- CIS - Genérico 6ª Etapa.jpg

  

CAMINHO INGLÊS DE SANTIAGO

 

6ª e últimaª Etapa:- Sigüeiro - Santiago de Compostela

 

10.abril.2014

 

 

Breve Introdução a jeito de Epílogo

Fez, no passado dia 10 de abril, um ano que percorremos a última etapa do Caminho Inglês de Santiago: Sigüeiro - Santiago de Compostela.

 

Tratou-se da última etapa dos Caminhos de Santiago que nos propusemos fazer na área da Galiza - Via de la Plata ou Caminho Sanabrês, pela variante de Laza; Caminho do Norte; Caminho (Central) Português; Caminho Francês; Caminho Primitivo (que o fizemos por completo, começando por Oviedo, bem como o Inglês, por Ferrol, respetivamente), O Epílogo (Santiago-Muxia/Muxia-Fisterra) e, finalmente, o tranquilo e pausado Caminho Inglês.

 

Tão tranquilo e pausado no seu percurso como na sua reportagem. Que demorou mais de um ano a fazê-la.

 

Desde aquele 10 de abril de 2014 - data comemorável, que coincidiu com a presença do Tópê que, neste dia, festeja o seu aniversário, e que nos presenteou com a sua presença - não mais fizemos percursos de certo folgo. Questões relacionadas com compromissos assumidos - que aqui não vêm ao caso o seu relato - impediram-nos de fazer uma ou outra «escapadela» por essas Terras de Portugal e da Gallaecia, bem assim a questão da instabilidade do clima, particularmente a temperatura, constantemente oscilante, e com a qual nos damos mal, face aos nossos «achaques».

 

Mas antes, nesta nova primavera, de partirmos para outras «aventuras» pedestres não queríamos deixar de completar o «dossiê» da reportagem deste Caminho.

 

Enquanto esperávamos pelo Tópê para com ele jantarmos, comemorando a data do seu nascimento, fizemos uma demorada visita ao Parque Alameda e ao Convento de Santo Domingo Bonaval (Museu do Pobo Galego e Panteão dos Ilustres Galegos). Mas vamos deixar para dois futuros posts a reportagem dessas visitas.

 

Concluamos, então, a reportagem do Caminho Inglês de Santiago.

 

2.- Mapa e desníveis da etapa

 

02.- CIS - 6.jpg

 

3.- Descrição sucinta da etapa

Não fora o tempo incerto, obrigando a tirar e a por, constantemente, o impermeável da mochila por causa da chuva, esta última etapa do Caminho Inglês fez-se sem dificuldade de maior. Para além de relativamente curta, uns escassos 16,5 Km, conforme se pode verificar pelo mapa acima reproduzido, os seus desníveis são de feição moderada.

 

Os primeiros dois terços da etapa transcorreram por entre zonas rurais e de bosques (florestais) agradáveis, a par da Estrada Nacional nº 550 (N-550).

 

Os últimos 5,3 Km são em zonas industrial e urbana: num primeiro momento, pelo Polígono Industrial do Tambre; depois, ao longo das ruas dos bairros do norte de Santiago até se entrar no Centro Histórico de Santiago de Compostela.

 

Só ao Km 11,4 da etapa é que se encontra uma zona de serviço, na zona do Polígono Industrial do Tambre.

 

Contudo, a não ser o interesse paisagístico, o que contou nesta etapa foi a chegada à capital da Galiza, com a monumentalidade dos seus edifícios históricos, e o convívio com o grupo que, praticamente desde Pontedeume, cada um, embora seguindo no seu ritmo e de acordo com os seus gostos, acabaram por confraternizar nos albergues e tirar a fotografia de conjunto, que vem no fim desta reportagem: o autor desta humilde reportagem e seu companheiro (sobrinho) Florens; o «casal» Óscar (“gato”, madrileno) e Lara (barcelonesa); a nossa jovem americana, Alyson Arkelein, de Whashington DC e, por fim, o jovem casal de Ceuta, que praticamente não «descolou» de nós nesta última etapa.

 

3.1.- Sigüeiro - Polígono Industrial do Tambre

Ao atravesarmos a ponte medieval sobre o rio Tambre, em Sigüeiro,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (4).jpg

entrámos no concello de Santiago de Compostela por um caminho agradável em terra, por entre carvalhos. Em pouco tempo chegámos à Igreja de San Andrés de Barciela.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (16).jp

Subimos um pouco

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (19).jp

e atravessámos a estrada AC-250, e torcendo noventa graus, caminhámos pela passagem inferior do viaduto da autopista A-9. Olhando à nossa esquerda, o céu apresentava-se neste esplendor!

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (38).jp

Mais à frente, voltámos a encontrar a N-550. Depois de atravessarmos os lugares da paróquia de San Vicente de Marantes, a A Rua Travesa e a A Torre, passámos pela parte traseira do Hotel San Vicente, onde, na véspera, tínhamos como alternativa, ali pernoitar. Tínhamos, até aqui, percorrido, mais ou menos 5 Km.

 

Deixámos à esquerda o cruzeiro e a capela (ermida) de Nossa Senhora de Agualada,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (65a).j

onde ultrapassámos o nosso jovem casal de Ceuta.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (65b).j

Chamou-nos a tenção este pormenor da portada lateral da capela:

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (69).jp

Por uma passagem inferior, cruzámos a N-550 e, mais à frente, entrámos num caminho de terra batida, rodeado de árvores.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (80a).j

E a vénia ou a pose do jovem casal de Ceuta para o fotógrafo de serviço.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (80).jp

E o encontro e a troca normal de palavras com os habitantes do lugar, em deslocação para as suas lides nos campos. Mas este estava especialmente orgulhoso do seu «pastor alemão»!

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (90).jp

Atravessámos o lugar de Vilasuso, da paróquia de San Cristovo de Enfesta, e por debaixo do viaduto do AVE - comboio de alta velocidade - entre Santiago e Coruña.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (97).jp

Pouco depois, ao Km 7,8, atravessámos o rio Sionlla

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (111).j

para, logo a seguir a uma ligeira subida, chegarmos a O Barral, uma pequena aldeia da paróquia de San Caetano, por entre prados

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (140).j

(Prado 1)

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (140a).

 (Prado 2)

sob um céu resplandecente.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (142).j

Ao Km 11,2, com chuva miudinha continuando a cair-nos no pelo, entrámos no Café-Bar Polígono, do Polígono Industrial do Tambre.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (174).j

 

3.2.- Polígono Industrial do Tambre - Entrada da cidade de Santiago de Compostela

Depois de comermos um pequeno-almoço reforçado, e descansando um pouco, continuámos Caminho, seguindo pela via Galileo, deixando à esquerda o grande cemitério Boisaca,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (205).j

com as suas instalações funerárias,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (211).j

e, seguindo em frente, entrámos nos bairros norte do núcleo urbano de Santiago de Compostela pela rua do Tambre.

 

Virando à direita, dirigimo-nos à rua do Río (Km 13,1) e, no final desta, pela esquerda, entrámos no Camiño dos Vilares.

 

No final do Camiño dos Vilares, desembocámos no Camiño do Chan de Curros. Daqui já se podem ver as torres da Catedral. Este lugar é o «Monte do Gozo» do Caminho Inglês de Santiago.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (211a).

E Florens exuberou de alegria ao avistar as torres.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (248).j

Daqui descemos até ao Parque Pablo Iglesias, onde se encontra um aqueduto medieval, mais conhecido por Ponte Mantible, do tempo do arcebispo de Santiago, Diego Xelmírez.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (277).j

E depois seguimos pelas avenidas Castelão e Xoan XXIII até que, virando à direita, estávamos na rua da Pastoriza.

 

Passando pela rua dos Basquiños e de Santa Clara, pelo mosteiro Del Carmen,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (329).j

(Pormenor da fachada) 

chegámos à Porta da Pena,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (340).j

início do Centro Histórico de Santiago de Compostela.

 

3.3.- Centro Histórico de Santiago de Compostela - Praça do Obradoiro

Do dito «casco histórico» de Compostela,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (341).j

destacamos a fachada barroca da Igreja de San Martín Pinario,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (348).j

donde, por entre ruas e ruelas,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (375).j(Pormenor de uma fachada)

passando pela Praça das Praterías, fomos dar à imensa e buliçosa Praça do Obradoiro, centro nevrálgico, político, religioso e geográfico da cidade compostelana.

 

O tempo, conforme nos aproximávamos de Santiago, ia aliviando, raiando, em pleno, o sol. Mas, nuvens, ao longe, ameaçavam tormenta - chuva e trovoada. Mas foram só ameaças!...

 

Quando chegámos à Praça do Obradoiro o sol raiava, como também nossas almas, felizes por, pela sétima vez, pelos diferentes Caminhos de Santiago, aqui termos chegado.

 

Foi um dos dias mais movimentado que, em finais de etapa, presenciámos nesta Praça.

 

Embora não excessivamente cansados, os componentes do grupo sentaram-se na Praça, defronte da Catedral,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (407).j

(Lara e Óscar)

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (408).j

(O casal jovem de Ceuta)

observando os monumentos à sua volta

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (430).j

(Pormenor cimeiro do Pazo Raxoi)

e o movimento daquele vasto espaço cheio de agitação de pessoas, que chegavam e partiam.

 

Entretanto, despedíamo-nos da jovem americana Alyson.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (431).j

Até que também chegou a nossa vez de partir. Tirámos a fotografia da praxe do grupo.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (466).j

E depois de obtida a «Compostela»,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (467).j

e após os beijos e abraços da despedida, cada um foi tratar das suas vidas, do seu destino, do regresso a casa.

 

Nós - eu e o Florens - ainda ficámos por mais umas boas horas. Fomos almoçar e ficámos até à noite, à espera do Tópê para jantarmos os três.

 

Entretanto, aproveitámos a tarde para percorrer pormenorizadamente o Parque Alameda e visitar o Museu do Pobo Galego e o Panteão dos Ilustres Galegos, no Convento de Santo Domingo Bonaval.

 

Depois daquelas visitas, descansámos, numa esplanada nas proximidades do Convento, a beber umas «cañas», fazendo horas.

 

E acabamos esta reportagem com uma foto postada pelo Topê no seu Fecebook, nesse dia comemorativo dos seus 30 anos. Com uma «saúde» e amor à Vida!

51000.jpg

Percorreremos novos Caminhos de Santiago? Creio que por aqui ficaremos.

 

Mas, quem sabe?!...

 

Deixamos agora, para visionamento do(a) leitor(a), um singelo diaporama desta 5ª etapa do Caminho, para visionamento dos (as) nossos (as) leitores (as).

 

[Nota:- Para ouvir o diaporama, aconselha-se a tirar o som ao rádio, no canto superior esquerdo do blog].

 

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

imagem de perfil

StatCounter


View My Stats

rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar
blog-logo

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

A espreitar

online