Quinta-feira, 28 de Junho de 2018

Gallaecia - Memórias de um andarilho:- Parque Natural do Monte Aloia (II)

 

GALLAECIA - MEMÓRIAS DE UM ANDARILHO

00.-

 (Fonte:- https://spotlight.it-notes.ru/images/eaaeab9bfd03bb68bb9a1835b51b6882)


- «Andaina» pelo Parque Natural Monte Aloia -


20.maio.2018

 

 

"Hoy el Monte Aloia es una sinfonía de color en las alturas
que cambia con cada estación:
el amarillo del tojo y la retama, el blanco de la jara, el lilaz del brezo...".

 

 


B.- TROÇOS («TRAMOS») DA PARTE DA MANHÃ

 

Os percursos pedestres, no Parque Natural Monte Aloia, na sua maior parte, partem da Casa do Engenheiro Rafael Areses Vidal ou Casa Forestal Enxeñeiro Areses, construída em 1921, atual Centro de Receção de Visitantes e Centro de Interpretación de la Naturaleza.

 

Oficialmente são conhecidos os seguintes:


* Trilho de Cabaciñas - Poza de Cabanas: uma pequena subida ao miradouro de Cabaciñas;
* Trilho dos Moinhos de Paredes: parte da Casa Florestal Eng. Rafael Areses, visitando o lugar de Paredes.
* Trilho do Rego da Pedra: atravessamento do sulco ou Rego de Pedra e pela «Senda» Botânica.
* Trilho do Castro Alto dos Cubos: vai desde Frinxo, subindo até às excavações do Castro.
* Trilho dos Moinhos de Tripes: percurso paralelo ao rio Tripes, visitando seus moinhos.
* «Senda» Botánica: em 400 metros, e mediante jogos, mostra-se a variedade da flora do Parque.
* PR-G1 Galiñeiro: desde este pico Galiñeiro (709 m) domina-se um extenso panorama do sul da província de Pontevedra.
* PR-G2 Aloia: bonito e fácil percurso que nos conduz, de norte a sul, pelas encostas da serra do Galiñeiro, finalizando no Monte Aloia ou de San Xiao (São Julião).

 

O Club de Sendeiristas de Monterrei, em colaboração com os amigos(as) caminheiros(as) do Club Deportivo AndaTui RegodaPedra, no passado dia 20 de maio, organizou um conjunto de troços («tramos») que nos permitiu, a pé, conhecer, na sua glabalidade, o essencial do Parque Natural Monte Aloia.

 

Neste sentido, vamos dar a conhecer aos nossos leitores - muito esquematicamente - o que foi o nosso percurso («andaina»), por troços («tramos») ao longo do Parque Natural Monte Aloia:

 

01.- Rota do Monte Aloia (4)

 

1.- Trilho dos moinhos de Paredes ou de O Deique

 

02.- Rota do Monte Aloia (6)

 Começámos o nosso percurso pedestre no Parque Natural do Monte Aloia seguindo este trilho, que se desenvolve por um conjunto de 7 moinhos,

03.- Rota do Monte Aloia (18)

 (Aspeto de um dos moinhos)

04.- Rota do Monte Aloia (28)

 (Aspeto de outro moinho)

ao longo do ribeiro O Deique, um afluente do rio Louro, que nasce no Monte Aloia,

05.- Rota do Monte Aloia (25)

correndo por entre uma abundante vegetação, em que primam, pela sua presença, estes fetos endémicos.

06.- Rota do Monte Aloia (16)

Mas com subidas de meter respeito!

07.- Rota do Monte Aloia (15)

 

2.- Dos moinhos de Paredes à capela de San Fins


Foi um percurso menos aliciante.

08.- Rota do Monte Aloia (53)

A vegetação era pouco apelativa para o nosso gosto. Neste troço, a vertente da exploração do monte, para fins vincadamente económicos, é bem patente, imperando, particularmente, as espécies como o eucalipto e o pinheiro bravo.

09.- Rota do Monte Aloia (64)

Seria de todo bem melhor continuarmos ao longo das margens de O Deique. Para o efeito, seria necessário o seu desmate e limpeza. Aqui fica uma sugestão.

 

Valeu, contudo, a boa disposição

10.- Rota do Monte Aloia (78)

e a camaradagem das gentes do Club de AndaTui,

11.- Rota do Monte Aloia (55)

bem assim, à chegada, por uma estrada local asfaltada,

12.- Rota do Monte Aloia (98)

o reencontro com o ribeiro de O Deique, com a sua água cristalina

13.- Rota do Monte Aloia (87)

e a zona de lazer, onde se encontra a capela de San Fins.

14.- Rota do Monte Aloia (114)

 

3.- Da capela de San Fins à Pedra do Acordo


Saindo da aprazível zona de lazer da capela de San Fins,

15.- Rota do Monte Aloia (121)

há que, atravessando a estrada local, saltar para o monte.

16.- Rota do Monte Aloia (125)

este troço foi mais aprazível, não só quanto ao esforço

17.- Rota do Monte Aloia (138)

como à paisagem envolvente, acompanhada de curiosas formações rochosas.

18.- Rota do Monte Aloia (151)

Num «tiro»,

19.- Rota do Monte Aloia (141)

fomos ter à Pedra do Acordo.

20.- Rota do Monte Aloia (158)

Nesta Pedra

21.- Rota do Monte Aloia (162)

se estabelecem os limites de 3 concelhos - Gondomar, Porriño e Tui - e de 5 paróquias - Malvas, Pazos de Reis, Rebordans, Morgadans e Chenlo. As informações que obtivemos dos amigos caminheiros de AndaTui apontavam para as seguintes paróquias: Rebordans, Malvas, Randufe, Pazos de Reis e San Xosé de Prado.

 

Esta Pedra, que parece insignificante, tem 10 séculos de história.

 

4.- Percurso dos Miradouros


4.1.- Miradouro Cabaciñas


Da Pedra do Acordo, o nosso percurso agora decorre pela zona dos miradouros. Decidiu-se não fazer todos os miradouros, mas apenas três, percorrendo um trilho a subir, no qual, para além de formações rochosos tão peculiares como esta,

22.- Rota do Monte Aloia (168)

à nossa direita, encontrávamos o pico mais alto da serra do Galiñeiro.

23.- Rota do Monte Aloia (177)

Até que, numa ligeira subida, vamos ao encontro do miradouro natural de Cabaciñas.

24.- Rota do Monte Aloia (188)

(Perspetiva I)

25.- Rota do Monte Aloia (208)

 (Perspetiva II)

Ao longe, o encontro de terras portuguesas e galegas, através da ponte internacional, tendo como fronteira natural o rio Minho.

26.- Rota do Monte Aloia (189)

À saída deste promomtório, uma figura granítica sui generis, aparentada com uns socos holandeses.

27.- Rota do Monte Aloia (226)


4.2.- Miradouro Eng. Areses


Em breve trecho, naproximámo-nos do Miradouro do Engenheiro Rafael Areses Vidal.

28.- Rota do Monte Aloia (265)

Gravada na enorme rocha que o suporta, esta citação:

 

"El arbol es la belleza en las cumbres,
Es la abundancia y la fertilidad en los valles,
Es pan y riqueza en las regiones"


                                                       Acervino

29.- Rota do Monte Aloia (248)

Eis o miradouro, trabalhado, artisticamente, em cimento.

30.- Rota do Monte Aloia (259)

E algumas das «belezas» do grupo aqui possando para a objetiva.

31.- Rota do Monte Aloia (254)

Deste miradouro, a panorâmica não é grande coisa. Possivelmente, a frondosa vegetação que o rodeia tirou-lhe as vistas.

32.- Rota do Monte Aloia (261)

 

4.3.- Miradouro Grande Cruz de Pedra

 

É o mais conhecido. Nele se encontra uma grande cruz, construída em 1900, para celebrar, naquele ano, o Ano Santo.

33.- Rota do Monte Aloia (302)

Daqui pode-se contemplar, numa ampla panorâmica, todo o vale do rio Minho.

34.- Panorâmica desde o Miradouro da Cruz - Monte Aloia

(Cenário I)

35.- Rota do Monte Aloia (350)

(Cenário II)

Antes de aqui chegarmos, temos de fazer a nossa via crucis,

36.- Rota do Monte Aloia (294)

ladeada de variado arvoredo.

37.- Rota do Monte Aloia (300)

E, como não podia deixar de ser, num lugar como destes, a fotografia da praxe do grupo.

38.- Rota do Monte Aloia (344)

À saída do miradouro, não faltaram as incrições, na pedra granítica, de exaltação à árvore.

39.- Rota do Monte Aloia (355)

E, à vinda para o Santuário/Ermida de San Xiao, de Nossa Senhora das Angústias e de San Fins, onde, numa das suas dependências, se realizou o nosso almoço, não deixámos de dar uma olhadela para a «cama de San Xiao».

40.- Rota do Monte Aloia (360)


5.- Santuário de San Xiao, San Fins e Nossa Senhora das Angústias


Este lugar é o mais conhecido e visitado no Parque Natural Monte Aloia. Não só por ser um recinto de peregrinação, festa e romaria , mas por ser também uma área recreativa, com apoio de serviços, nomeadamente, restaurante com café/bar.

41.- Rota do Monte Aloia (433)

Como já aludimos, é um Santuário/Ermida,simples, de origem românica, reconstruido no século XVIII, e no qual se veneram três santos: San Xiao (São Julião), a Virgem das Angúatias e San Fins.

42.- Rota do Monte Aloia (393)

Vejamos agora dois pormenores desta Ermida, como a sua fachada principal,

43.- Rota do Monte Aloia (401)

e, na mesma, lateralmente, um relógio de sol.

44.- Rota do Monte Aloia (408)

Nas suas proximidades, e nas imediações da área de serviços, umas largas e longas escadas levam-nos à Fonte do Santo (San Xiao) ou, como também é mais conhecida, a Fonte do Bispo.

45.- Rota do Monte Aloia (369)

Perante o porte de algumas das suas árvores neste lugar, algumas das nossas companheiras/caminheiras não resistiram em abraçá-las.

46.- Rota do Monte Aloia (377)

Foi numa das dependências do Santuário /Ermida que foi servido o nosso repasto.

47.- Rota do Monte Aloia (411)

No fim do mesmo, cantámos os parabéns ao companheiro/caminheiro Lucas que neste dia fazia anos.

48.- Rota do Monte Aloia (423)

Quantos? Não sabemos. Melhor, sabemos, mas não dizemos. A partir de certa altura, a idade já não conta. A experiência é que vale tudo. E, no nosso club, as funções de ecónomo e de amunuense é com ele. Não tem rival!

49.- Rota do Monte Aloia (418)


publicado por andanhos às 10:48
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 10 seguidores

.rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

.Setembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
22

24
25
26
27
28
29

30


.posts recentes

. Memórias de um andarilho ...

. Vesejando com imagem - Am...

. Versejando com imagem - V...

. Memórias de um andarilho ...

. Ao Acaso... O que resta d...

. Versejando com imagem - A...

. Versejando com imagem - J...

. Versejando com imagem - C...

. Versejando com imagem - V...

. Palavras soltas - Sistelo...

.arquivos

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.A espreitar

online

.links

.StatCounter


View My Stats
blog-logo