Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

andanhos

andanhos

Chaves através da imagem - A ribeira dos "mil e um nomes"

 

 

CHAVES ATRAVÉS DA IMAGEM

 

A RIBEIRA DOS “MIL E UM NOMES”


Vou-vos mostrar a minha ignorância. E bem diz a sabedoria popular - aprender até morrer.

 

Vive-se numa terra e pensamos que dela, pelo tempo que nela vivemos, tudo sabemos. E, chega um dia, e o dito do filósofo Sócrates, o ateniense, apresenta-se-nos todo ele pleno de sabedoria - só sei que nada sei!

 

Pois é verdade! Vamos à pequena história...

 

Ao sairmos de Chaves, pela zona da Madalena, deparamo-nos com a “Ribeira do Caneiro”. Na Rotunda do Raio X, dirigindo-nos pela Estrada de Valpaços, e até São Lourenço, aparece-nos a indicação de “Ribeira das Avelãs” e, pouco mais acima, “Ribeira do Pinheiro”.

 

Hoje, indo com o amigo Queirós, a partir da Veiga, à procura de destroços de antigos moinhos da nossa terra, oiço-lhe mais os seguintes nomes - “Ribeira da Condeixa”; "Ribeira de Sampaio"; "Ribeira de Palheiros"; “Ribeira de Cabanas"... e sei lá quantas ribeiras, e seus respetivos nomes, andam por aí espalhados.

 

Mas, afinal, ele não são tantas ribeiras quantos os seus nomes. Trata-se simplesmente da mesma ribeira - hoje vi-lhe bem o seu traçado - que, consoante o seu curso de água passa pelos diferentes lugares, o "paisano" apoda-a com a toponímia do sítio.

 

Enfim, tanta riqueza (e quantidade) de nomes para um tão simples e singelo curso de água!

 

Contudo, se se trata de um simples e singelo curso de água, que vai desaguar a jusante da Ponte Romana de Chaves, pelas bandas do Caneiro, já a natureza por onde passa e a história que está ligada a esta pequena e singela ribeira tem muitas estórias para contar e descobrir: umas, verdadeiras; algumas, lendas; outras, simples conjeturas.

 

O pequeno percurso pedestre que hoje de manhã fizemos, conduzidos pelo amigo Queirós, despertou-nos a curiosidade não só de percorrermos o seu curso todo, desde a nascente até à foz, como também de tentar descobrir alguns segredos ou estórias que o curso desta buliçosa ribeira nos tem para contar.

 

Por hoje fiquemos apenas com uns simples “flashes”: por um lado, o aspeto que as águas desta primavera imprimiram a esta irrequieta ribeira, junto a um moinho;

2016 - Ribeira das Avelãs (Rui Queirós) (97)

por outro, um dos aspetos da sua paisagem, na sua borda ribeirinha

2016 - Ribeira das Avelãs (Rui Queirós) (68)

 

e, finalmente, três fotos, qual variação sobre o mesmo tema, das ruínas de um edifício, cujos magos, adivinhos, bruxos, curiosos, entendidos e, até, pesquisadores de ilustre nome, ainda não lhe descobriram a sua verdadeira função.

2016 - Ribeira das Avelãs (Rui Queirós) (61)

(Variação nº 1)

2016 - Ribeira das Avelãs (Rui Queirós) (38)

(Variação nº 2)

2016 - Ribeira das Avelãs (Rui Queirós) (39)

 (Variação nº 3)

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

StatCounter


View My Stats

rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar
blog-logo

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

A espreitar

online