Domingo, 9 de Outubro de 2016

Por terras da Ibéria:- Caminho de São Salvador - Buiza-Poladura de la Tercia

 


DE LA PULCHRA LEONINA A LA SANTA OVETENSIS


CAMINHO DE SÃO SALVADOR

 

4 etapa:- Buiza - Poladura de la Tercia

(01.maio.2016)


Peguemos nas nossas Notas escritas no final de cada dia de caminhada. Quanto a esta 4ª etapa - Buiza-Poladura de la Tercia -, escrevíamos: “Ficámos somente com o Florens no albergue de Buiza. Estávamos para sairmos um bocadinho à noite, mas acabámos por ficar no albergue. Conversámos até perto das 11 horas da noite, das nossas vidas (...) Pusemos o despertador para as 08h30m locais, mas, antes da 07h30m, já estávamos acordados. Levantámo-nos. Fizemos a nossa higiene. Tomámos o pequeno-almoço. Demos conta que estava muito frio. Acondicionámo-nos com roupa adequada para andarmos pela montanha, apesar de o céu estar limpo e se adivinhar um dia de sol radioso”.

 

Saímos de Buiza pela sua rua central - a da igreja matriz, dedicada a Justo e Pastor,

01.- P5010005.jpg

mas sem lá chegarmos, pois, junto à fonte, que postamos na etapa do dia anterior deste Caminho, virámos à esquerda para irmos pela variante que nos levaria às «Forcadas de San Antón».

 

Preparando-nos para a subida que nos esperava, deixando Buiza, e olhando para trás, eis o panorama que se vislumbrava:

02.- P5010042.jpg

Estávamos a começar a subida, deixando Buiza, quando bateu as 08h30m no nosso telemóvel.

03.- P5010040.jpg

Bem nos advertia o sítio da internet do Eroski Consumer quando nos alertava que os primeiros quilómetros desta nossa pequena etapa - de apenas 9 Km -, eram deveras duros: em 3 Km teríamos de vencer um desnível de 340 metros!

 

O que nos ia distraindo, na primeira parte desta subida, eram os «garranos» leoneses «selvagens» que aqui, mais abaixo,

04.- P5010032.jpg

e ali, mais acima,

05.- P5010043.jpg

exibiam posturas e portes como que nos incitando a sermos tão ágeis como eles, e caminharmos.

 

Na verdade, o primeiro quilómetro foi bem duro.

06.- P5010051.jpg

Mas, com calma, entremeando, aqui e ali, uma paragem, ora para apreciar a montanha, ora para ver uma égua com a sua cria

07.- P5010058.jpg

e o potro que, sentindo-nos, se postou no caminho para nos saudar.

08.- P5010057.jpg

Subindo por um estreito carreiro, rodeado de carvalhos (robles), urzes e giestas,

09.- P5010077.jpg

passámos por uma formação rochosa, com uma forma antropomórfica, que mais parece uma cabeça, ao alto.

10.-P5010080.jpg

Ao andar, não resistiamos a, constantemente, olhar para o alto.

11.- P5010095.jpg

O caminho começava a ser mais pedregoso.

12.- P5010085.jpg

E, olhando para um lado

13.- P5010101.jpg

e para outro,

14.- P5010105.jpg

cruzámo-nos com as afiadas formações rochosas conhecidas por «Forcadas de San Antón».

 

Passando ainda por um trecho de pastagens de montanha,

15.- P5010141.jpg

finalmente, chegámos à cota mais alta da nossa etapa.

16.- P5010124.jpg

Segundo nos relata o «Guia» El Camino de San Salvador - León-Oviedo, também referido pelo Eroski Consumer, quando se refere a esta variante do Caminho de São Salvador, existe um relato, de 1477, que nos confirma que, neste alto e no meio desta solidão, havia uma hospedaria, na qual um homem dava de comer aos peregrinos.


Pela nossa parte, não encontrámos qualquer vestígio ou ruínas de hospedaria, senão que uns calhaus, onde, num deles, Florens se sentou a descansar e a deitar para o papel as suas impressões destes 3 quilómetros de troço do Caminho que havíamos feito.

17.- P5010143.jpg

Depois de, aqui ,comidos e hidratados, era hora de, neste alto, darmos uma vista de olhos para o seu entorno.

18.- P5010136.jpg

(Pormenor I)

19.- P5010147.jpg
(Pormenor II)

Simplesmente espetacular!

 

Mochilas às costas, iniciámos a descida.

20.- P5010150.jpg

Inicialmente era composta por várias manchas de pinheiros bravos,

21.- P5010160.jpg

com pequenos regatos de água, ainda apresentando-se congelados a esta hora do dia, exibindo aqui,

22.-P5010156.jpg

e ali

23.- P5010158.jpg

estas bonitas formações.

 

Se o alto das «Forcadas de San Antón», com a sua paisagem, nos deslumbrou, atravessadas as várias manchas de pinheiros-silvestres, a paisagem apresentou-se-nos porventura ainda mais deslumbrante.

24.- P5010165.jpg

Particularmente quando caminhávamos na meia encosta,

25.- P5010185.jpg

completamente encaixados pela montanha

26.- P5010198.jpg

e nunca abandonados pela setas amarelas.

27.- P5010188.jpg

Até que, ao dobrar do estreito, apertado e declivoso caminho, à nossa direita, nos aparece o vale de Rodiezmo e a aldeia com o mesmo nome,

28.- P5010229.jpg

protegidos pela montanha encimada pelo pico de «El Fontún»,

29.- P5010199.jpg

e pejada com as suas «foices».

30.- P5010231.jpg

A partir daqui, em ligeira, mas perigosa descida, com o terreno muito irregular, ou enlameado, e com trechos de neve, caída na noite passada,

31.- P5010236.jpg

vamos prosseguindo por um caminho pouco visível que só as célebres «piruletas de limón» (nome carinhoso dado às estacas de ferro, pintadas de amarelo, e com a vieira implantada no topo) é que nos guiavam até Poladura de la Tercia.

32.- P5010253.jpg

Cerca de uma hora nos separava de Poladura de la Tercia. E caminhávamos mais devagar e pausadamente, dando-nos oportunidade de captarmos, com as nossas máquinas fotográficas, todo o entorno por onde passávamos.

33.- P5010243.jpg
(Pormenor I)

34.- P5010249.jpg
(Pormenor II)

Pelo caminho, neste último troço, encontrámos um residente - o senhor Macário - que nos foi dando algumas indicações sobre o vale de San Martin, que estávamos a atravessar, queixando-se do estradão que fizerem e, no qual, na maior parte do ano, ninguém pode passar por ele, pois é só lama, dada a presença dos córregos (arroios) de Malena e El Ruelo.

 

Nas proximidades de Poladura de la Tercia, do nosso lado direito, vislumbrámos a aldeia de San Martin.

35.- P5010244.jpg

 Aproximando-nos, a  vista da aldeia em pormenor.

36.- P5010257.jpg

E, mais à frente, à esquerda, e por detrás de Poladura de la Tercia, os picos das «Três Marias».

37.- P5010256.jpg

Antes de chegarmos até Poladura de la Tercia,

38.- P5010268.jpg

há que atravessar o córrego de Lamoso, com um pontão em madeira, que substituiu o antigo «Pontão dos Romeiros».

39.- P5010280.jpg

Atravessado o pontão, e após uma pequena subida, entrámos em Poladura de la Tercia.

40.- P5010287.jpg

Poladura de la Tercia é um povo ainda mais pobre que Buiza.

 

O albergue fica logo à entrada de quem vem vem no Caminho.

41.- P5010289.jpg

É uma antiga escola primária, construída em 1958, que, no rés-do-chão, foi adaptada para Centro Recreativo do povo e, no andar superior, para albergue, com 8 camas.

 

Rezam ainda as nossas Notas: “Quando chegámos, por volta do meio-dia, o senhor Fernando - o albergueiro - ainda se preparava para arrumar o albergue. Fernando pareceu-nos um rapaz simpático, contudo, quanto a limpeza, este albergue tem muito a desejar. Justificou o atraso na arrumação pela circunstância de os peregrinos que aqui pernoitaram se terem levantado tarde. Talvez tenha alguma razão... Depois do albergue arranjado, e enquanto o seu chão enxugava, tomámos um bocado de sol, sentados num banco da pequena praça onde se localiza o albergue. Depois, descemos umas escadas para irmos à Pousada «El Embrujo»

42.- P5010305.jpg

para sabermos do almoço que, na véspera, em Buiza, tínhamos encomendado. Não gostámos muito da hospitalidade da «gente» da Pousada.

 

Às duas e pouco, tomado banho, e devidamente instalados no albergue, lá nos trouxeram o almoço.

 

Positivamente, não nos damos com as comidas castelhanas. O arroz era uma argamassa, embora tivesse bom sabor, e os bifes de vitela estavam encharcados em molho de vinho (...)”

 

Quando pensávamos passar a noite sozinhos no albergue, eis que, enquanto comíamos, aparece-nos uma peregrina. Era uma jovem polaca, vinda de Madrid, a pé, que falou connosco inglês, perguntando-nos pelo albergueiro para se instalar.

 

Depois de comermos saímos um bocadinho para cá para fora.

 

No banco, onde cerca de duas horas antes onde estivemos sentados ao sol, deparámo-nos com outras ocupantes - quatro senhoras «maiores».

43.-P5010310.jpg

Cada uma, personalidades bem diferentes. Contudo, a seu jeito, bem simpáticas, sorridentes e faladoras.

 

Passámos cerca de uma hora na conversa com elas e a rirmo-nos... com a vida.

 

De Portugal, a cidade de Miranda era a que melhor conheciam.

 

Verdadeiramente encantadoras, estas «maiores» castelhanas!

 

Como, a certa altura, depois de tomado o sol, cada qual foi à sua vida, nós, pela nossa banda, também fomos à nossa: dar uma volta por Poladura de la Tercia, explorando os seus arredores,

44.- P5010294.jpg
(Perspetiva I)

45.- P5010333.jpg
(Perspetiva II)

46.- P5010344.jpg
(Perspetiva III)

47.- P5010356.jpg
(Perspetiva IV)

e não deixando de fazer uma visita à sua singular igreja,

48.- P5010366.jpg

que, infelizmente, se encontrava fechada.

 

Começando já a arrefecer, fomos saber do jantar à Pousada «El Embrujo».

 

Jantámos no albergue e, antes de dormirmos, estivemos à conversa com os nossos companheiros peregrinos, de camarata.

 

Como o relato já vai longo, esta parte da noite vamos deixar para o próximo post (5ª etapa) deste nosso Caminho de São Salvador.


publicado por andanhos às 19:43
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13
14
15
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Ao Acaso... Lago de Sanáb...

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras da Ibéria - Ri...

. Versejando com imagem - L...

. Palavras soltas... em Dia...

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras de Portugal - ...

. Versejando com imagem - E...

. Por terras da Ibéria - Tr...

. Por terras da Ibéria:- Ca...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.A espreitar

online

.links

.StatCounter


View My Stats
blog-logo