Sábado, 8 de Outubro de 2016

Palavras soltas... Guterres Secretário-geral da ONU

 

 

PALAVRAS SOLTAS...

 

GUTERRES SECRETÁRIO-GERAL DA ONU

1063935777.jpg


As causas sociais sempre nos levaram a nos empenhar na sociedade e na política.

 

Talvez a nossa educação familiar e a nossa educação humanística (que não a seminarística que tivemos) tenham aqui a sua grande quota-parte de responsabilidade.

 

Não despertámos para a Liberdade e para a Democracia apenas com o 25 de Abril de 1974, apesar de nunca ter passado por qualquer calabouço da PIDE.

 

Regressados, definitivamente, a Chaves, após a nossa formação académica, foi o PS o partido com quem nos sentimos mais identificado para ajudar a levar por diante os ideais da Liberdade, Democracia e do Socialismo Democrático.

 

Vimos demasiado dentro do PS para podermos afirmar que nem todos vêm da mesma nascente da qual brotaram as ideias humanistas e do verdadeiro socialismo democrático que queríamos ver implantadas no nosso país.

 

No meio da seara socialista havia - e infelizmente ainda há - muito joio.

 

Não apoiamos socialistas que se candidataram aos mais altos cargos do partido e até tiveram posição de destaque na governação do país, quer históricos, quer da dita nova vaga.

 

Estivemos sempre ao lado de duas personalidades do PS que, desde a primeira hora, nos fascinavam: pelos seus conhecimentos, pela sua competência, pela sua coerência, pela sua ação, em suma, pela sua grande humanidade e honestidade como pessoas.

 

Não é novidade nenhuma, para quem está atento e segue aquilo que escrevemos desde que nos «reformámos» da atividade partidária ativa (passe-se o pleonasmo), que, quer António Guterres, quer Jorge Sampaio, foram os nossos «heróis».

 

Porventura a eles lhes devemos o ainda constarmos das hostes socialistas. Porque acreditamos - e talvez agora porventura ainda mais - num PS que faça a diferença no verdadeiro «pântano» em que nos meteram!

 

É com grande orgulho e satisfação que hoje vemos António Guterres a tomar conta do alto cargo de Secretário-geral das Nações Unidas.

 

Por ser um português, por ser um socialista, por ser um homem inteligente e competente, por ser um homem honesto, por ser um homem de causas, por, como um verdadeiro humanista que se preza, aspirar à Paz e à Concórdia Internacionais, entre os diferentes povos, religiões, raças e convicções políticas.

 

Por tudo isto, aqui vos deixamos, para reforçar este nosso estado de alma, o testemunho insuspeito de um homem de quem somos muito crítico e ele também crítico do PS. Miguel Sousa Tavares, nesta última edição do Expresso, em artigo de opinião, falando sobre Guterres, entre muitas outras coisas, a nosso ver, enfatiza:


“(...) Nunca, em 40 anos de jornalismo, encontrei alguém em Portugal que estivesse mais bem preparado e motivado para governar - e eu sempre pensei e penso que governar Portugal, de acordo com aquilo que se acredita ser melhor para o país é o pior emprego que se pode ter. (...) Saiu [do governo e da política caseira] com um pretexto absurdo, cansado dos facas longas do PS, da pequena intriga da política e da mesquinhez do país. Não o disse assim exatamente, mas eu sinto que foi isso que pensou quando falou do «pântano». (...) E hoje ele é o secretário-geral do mundo. Não sei se os portugueses se dão bem conta daquilo que António Guterres conseguiu para Portugal. Representa bem mais do que as Bolas de Ouro de Cristiano Ronaldo, o título europeu da Seleção e até o Nobel de Saramago. Não haverá multidões à sua espera no aeroporto, desfile de vitória até aos jardins do Palácio de Belém, sumidades e autoridades a chegarem-se à frente e a quererem fazer selfies com ele. Mas nos últimos 50 anos, pelo menos, nenhum português no deu mais motivos de orgulho do que ele. E conseguiu-o através da atividade que o português comum mais gosta de desprezar: a política”.

 

Façamos, cada português na atividade a que se dedica, como António Guterres. Assim, Portugal será diferente. Porque cada um será mais e maior do que o Portugal que hoje temos.

 

E tal como Sousa Tavares arremata o seu artigo “Parabém e obrigado, António Guterres!» pela lição que nos destes.

guterres1.jpg

 

 

 

Nona


publicado por andanhos às 19:57
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15

17
18
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras de Portugal - ...

. Versejando com imagem - A...

. Por terras da Ibéria:- Ca...

. Palavras soltas... Em dia...

. Ao Acaso... Com Torga, fa...

. Reino Maravilhoso - Barro...

. Por terras da Ibéria:- Ca...

. Versejando com imagem - L...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.A espreitar

online

.links

.StatCounter


View My Stats
blog-logo