Segunda-feira, 23 de Março de 2015

Gallaecia:- Pelos Caminho de Santiago na Galiza - Caminho Inglês - 4ª etapa - Betanzos-Hospital de Bruma

01.- CIS  -Genérico de Betanzos e Céus.jpg

 

CAMINHO INGLÊS DE SANTIAGO

 

4ª Etapa:- Betanzos - Hospital de Bruma

08.abril. 2014

 

 

1.- Mapa do percurso e desníveis da etapa

02.- CIS - Mapas e Desníveis - 4ª etapa.jpg

 

Esta foi a etapa mais longa deste nosso Caminho Inglês. E, por sua vez, aquela que apresentou o maior grau de dificuldade. Gronze.com refere que, no seu traçado, depois de San Paio de Vilacoba (Casa Julia), em apenas dois quilómetros, passamos de 122 metros para 354 de altitude e, mais adiante, 2, 8 Km antes de acabar a etapa, em Hospital de Bruma, alcançamos os 458 metros de altitude, a cota máxima do Caminho Inglês. Por esta razão, esta etapa é a etapa rainha do Caminho Inglês que começa em Ferrol.

 

Quanto ao resto, a etapa de hoje foi um caminhar quase solitário, embora feito num agradável ambiente rural, agrícola e pastorício, recheado de lameiros para pastagens do gado bovino. Não fora a extrema repartição das propriedades agrícolas, que nos obriga a ter de ziguezaguear constantemente, a etapa, em vez de 28, 3 Km, bem poderia ter quase menos 10 quilómetros.

 

O único sítio que há onde comer é em San Paio de Vilacoba, decorridos, aproximadamente, 18 quilómetros.

 

 

2.- Descrição sucinta da etapa

Sigamos os nossos sumários apontamentos, vertidos no nosso diário da etapa, referentes aos troços da mesma. Que diz que nos levantámos à mesma hora dos outros dois dias, ou seja, 7 horas e 30 minutos, locais. E que, feitas as nossas abluções matinais, do albergue nos dirigimos à Casa Núnez, na confluência da praça da Constituição com a rua do Castro, para tomarmos o pequeno-almoço.

03.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (1).j

Depois de tomado o pequeno-almoço, partimos, de imediato, pela rua Castro, seguindo a sinalização do Caminho.

 

O dia começou com muito nevoeiro e, até às nove e pico, o tempo esteve sempre húmido e nublado.

 

Com esta etapa, como dissemos, a mais longa do nosso Caminho, saímos das rias altas para penetrarmos na Galiza rural profunda.

 

Até San Paio de Vilacoba (Casa Julia), fizemos um longo e bonito passeio.

 

Antes de San Paio de Vilacoba - 1 quilómetro ou 1 quilómetro e meio - comprámos a um padeiro, que andava a distribuir e vender pão porta-a-porta, um pão de milho com centeio, que nos foi entretendo o estomago até ao almoço.

 

Quanto ao património cultural, não há muito de relevo a destacar. Entre bosques, essencialmente de pinheiros e eucaliptos, e pastos, assim foi o nosso percurso.

 

2.1.- De Betanzos a San Estevo de Cos

Deixámos Betanzos saindo pela ponte (velha) medieval (As Cascas)

04.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (7).j

sobre o rio Mendo. Depois de uma ligeira subida, atravessámos a ponte sobre o caminho-de-ferro e passámos sobre o viaduto que atravessa a A-6,

05.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (16).

dirigindo-nos para Xan Rozo

06.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (19).

e Limiñón.

07.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (28).

Esta última localidade pertence ao concello de Abegondo.

 

Atravessámos o rio Mero

08.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (38).

e, em pouco tempo, estávamos a passar pela Igreja de San Estevo de Cos.

09.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (48).

Veja-se pormenor do topo de um «hórreo» (espigueiro):

10.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (53).

 

2.2.- De San Estevo de Cos a Santa Eulalia de Leiro

Neste troço, quer em terreno asfaltado, quer em terra batida, com constantes mudanças de direção, que obriga a uma certa atenção por causa da precária sinalização, há a destacar as aldeias dispersas de Cimo de Vila e O Vilar.

Por entre bosques e prados,

11.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (80).

atravessando o rio Fontao, entrámos na paróquia de Presedo (concello de Abegondo). Aqui parámos um bocadinho

12.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (98).para tratar e descansar os pés, no meio da aldeia, nitidamente rural, tal como as nossas transmontanas,

13.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (115)

com o gado de bico espalhando-se pelas suas ruelas.

Mais uma vez, por entre bosques e lameiros (prados) e o asfalto,

14.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (117)

com sucessivas e constantes mudanças de direção, estávamos em Santa Eulália de Leiro e na sua Igreja.

15.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (125)

 

2.3.- De Santa Eulalia de Leiro a San Paio de Vilacoba

Agora, andando e cruzando as estradas CP-0104 e CP-0105, ao longo de pequenos bosques e abundantes pastagens,

 

16.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (142)

(Panorama 1) 

17.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (153)

(Panorama 2)

 

depois de atravessarmos o rio Mero,

18.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (166)

uma vez mais, cruzámos com uma carrinha de transporte e venda de pão, antes de uma pequena subida que nos levou a San Paio de Vilacoba.

 

Já íamos com um pouco de «larica» e aquele pão de milho com centeio de comprámos foi-nos «afagando» o estomago até ao repasto na Casa Julia, onde, esperançados, tínhamos combinado almoçar.

19.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (171)

(Pormenor de uma casa)

 

Entretanto o sol ia aparecendo no seu jeito primaveril.

20.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (175)

(O meu companheiro-caminheiro)

 

Reza, assim, os nossos apontamentos do diário da etapa de hoje: “Almoçámos na Casa Julia,

21.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (177)

em Vilacoba. Quer mãe,

22.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (183)

quer filho

23.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (184)

foram muito atenciosos e simpáticos. Comemos massa com atum, de entrada, e frango assado com batatas fritas. No final, um café. Enquanto comíamos, o casal (inglês ou americano), que ia à nossa frente desde Betanzos e que, a determinada altura, o ultrapassámos, passaram pela Casa Julia sem parar. Fomos depois encontrá-lo na paragem de autocarros, a comer do seu farnel. Até 3 quilómetros, sensivelmente, antes de Bruma, vieram sempre à nossa frente, até que, já nas proximidades de A Malata, os ultrapassámos.

 

2.4.- De San Paio de Vilacoba a A Malata

Foi o troço mais duro da etapa e do Caminho.

Bem compostos com o almoço na Casa Julia, e, principalmente, pela afabilidade da patroa e de seu filho, iniciámos a subida. Primeiro, por asfalto, onde, logo no início, passámos pela abandonada capela de San Paio de Vilacoba,

24.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (194)

para logo irmos ao encontro da Igreja de Santo Tomé ou Santuário de San Paio de Vilacoba,

25.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (204)

com singela imagem, num nicho, do seu mártir.

26.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (210)

À nossa direita, campos de pastagens.

27.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (231)

Até que, acabado o asfalto, entrámos em terra batida,

28.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (225)

no meio de um bosque de eucaliptos e pinheiros,

29.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (240)

sempre a subir,

30.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (229)

 vendo aqui Florens no seu último troço da pior subida.

31.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (242)

Ultrapassados os lugares de O Vieiro, O Monte e Fontenla, no fim da subida, esperava-nos a aprazível área recreativa da aldeia de Vizoño.

 

Por entre pastagens e pequenos pinheirais ou eucaliptais, inopinadamente, aparece-nos, ainda em subida ligeira, o solitário cruzeiro de San Pedro de Vizoño,

32.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (278)

chamando-nos a atenção este pormenor do seu topo.

33.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (280)

À nossa esquerda, a Igreja e o cemitério.

34.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (282)

Até que, feita uma grande curva no asfalto,

35.-2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (291).

e ultrapassada a ponte sobre a AP-9,

36.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (294)

Castro Maior e o Pozo, bem assim o nosso casal (inglês ou americano),

37.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (312)

de poucas palavras,

38.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (320)

chegámos a A Malata.

 

2.5.- De A Malata a Hospital de Bruma

Ao chegarmos a A Malata, tínhamos superado o troço da etapa e do Caminho mais exigente, em termos de esforço físico, e ultrapassado o casal (inglês ou americano), que nos acompanhou, sempre a pouca distância, durante todo o caminho, já com o calor a apertar connosco.

 

Havia agora que ter um pouco mais de paciência pois, em cerca de meia hora, estaríamos no albergue.

 

A paisagem do Caminho continuava praticamente a mesma,

39.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (333)

agora já em plano

40.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (348)

 ou ligeira descida, até chegarmos a Bruma.

41.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (342)

E, neste troço, há apenas a salientar dois apontamentos: o cruzamento do Caminho Inglês de Ferrol com a variante que parte de A Coruña, ao Km 26,5, apenas singelamente assinalado por duas vieiras, em azulejo, e os «regos» ou regatos dos Santeiros e dos Outeiros.

42.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (343)

Atravessada a singela povoação de Bruma,

43.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (350)

já quase no final do seu termo, está situado o albergue de peregrinos.

44.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (356)

Diz Eroski que “a paróquia de Bruma pertence administrativamente ao concello de Mesía, mas está encravada, como se fosse uma ilha, no de Ordes. O albergue de peregrinos, da junta da Galiza, foi o primeiro que se construiu no Caminho Inglês e está erguido sobre o solar do antigo Hospital de Peregrinos, fundado em 1140 e anexado em maio de 1175 à Catedral de Santiago”.

 

Regressemos aos nossos apontamentos do diário desta etapa. Que nos relembra quem se juntou no albergue. A aviva-nos a memória, quando diz: “o casal (inglês ou americano), sempre na mesma cadência, continuou seu caminho; no albergue, juntámo-nos: Laia Parra e o companheiro madrileno, Oscar Quirós Garcia; a norte-americana, que encontrámos em Pontedeume, de 23 anos, de Washington DC, Alyson Arklein; um casal jovem, de Ceuta, que iniciou a etapa desde o Miño, e nós os dois - eu e o Florens. Mandámos vir o «menu» de fora, a dois quilómetros do albergue, e comemos todos no albergue. Aqui, em Bruma, não há onde comer. Tem que se encomendar de fora, de um restaurante que fica dois quilómetros mais à frente. Aqui também não há rede para telefone ou sequer internet. Depois de comermos, ficámos todos a conversar um bocadinho, trocar correspondência e endereços e a tirar fotos (...). Um aparte: andei mais seis quilómetros, para além dos 28, 3 Km da etapa. A razão prendeu-se com o facto de ir ao encontro do marco que indica a bifurcação do Caminho que vem de A Coruña e que se encontra com o de Ferrol. Ou seja, depois de chegado ao albergue, tomado banho e descansado, voltei a fazer o Caminho em sentido contrário para encontrar aquelas duas vieiras e tirar uma foto. E... nada. Não as encontrei! E facto curioso que, quando fazia o Caminho, vi-as. Mas não lhes tirei uma foto! Verino, o nosso albergueiro, não me soube explicar muito bem o local. Ou então, eu não prestei a devida atenção às suas indicações. Enfim...”

45.- 2014 - CIS - 4ª etapa - Betanzos-Bruma (351)

Deixamos agora, para visionamento do(a) leitor(a), um singelo diaporama desta 4ª etapa do Caminho, para visionamento dos (as) nossos (as) leitores (as).

 

[Nota:- Para ouvir o diaporama, aconselha-se a tirar o som ao rádio, no canto superior esquerdo do blog].

 

 


publicado por andanhos às 16:12
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

13
14
15
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Ao Acaso... Lago de Sanáb...

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras da Ibéria - Ri...

. Versejando com imagem - L...

. Palavras soltas... em Dia...

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras de Portugal - ...

. Versejando com imagem - E...

. Por terras da Ibéria - Tr...

. Por terras da Ibéria:- Ca...

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.A espreitar

online

.links

.StatCounter


View My Stats
blog-logo