Quinta-feira, 16 de Abril de 2015

Gallaecia:- Pelos Caminhos de Santiago na Galiza - Caminho Inglês - 6ª e última etapa - Sigüeiro-Santiago de Compostela

 

01.- CIS - Genérico 6ª Etapa.jpg

  

CAMINHO INGLÊS DE SANTIAGO

 

6ª e últimaª Etapa:- Sigüeiro - Santiago de Compostela

 

10.abril.2014

 

 

Breve Introdução a jeito de Epílogo

Fez, no passado dia 10 de abril, um ano que percorremos a última etapa do Caminho Inglês de Santiago: Sigüeiro - Santiago de Compostela.

 

Tratou-se da última etapa dos Caminhos de Santiago que nos propusemos fazer na área da Galiza - Via de la Plata ou Caminho Sanabrês, pela variante de Laza; Caminho do Norte; Caminho (Central) Português; Caminho Francês; Caminho Primitivo (que o fizemos por completo, começando por Oviedo, bem como o Inglês, por Ferrol, respetivamente), O Epílogo (Santiago-Muxia/Muxia-Fisterra) e, finalmente, o tranquilo e pausado Caminho Inglês.

 

Tão tranquilo e pausado no seu percurso como na sua reportagem. Que demorou mais de um ano a fazê-la.

 

Desde aquele 10 de abril de 2014 - data comemorável, que coincidiu com a presença do Tópê que, neste dia, festeja o seu aniversário, e que nos presenteou com a sua presença - não mais fizemos percursos de certo folgo. Questões relacionadas com compromissos assumidos - que aqui não vêm ao caso o seu relato - impediram-nos de fazer uma ou outra «escapadela» por essas Terras de Portugal e da Gallaecia, bem assim a questão da instabilidade do clima, particularmente a temperatura, constantemente oscilante, e com a qual nos damos mal, face aos nossos «achaques».

 

Mas antes, nesta nova primavera, de partirmos para outras «aventuras» pedestres não queríamos deixar de completar o «dossiê» da reportagem deste Caminho.

 

Enquanto esperávamos pelo Tópê para com ele jantarmos, comemorando a data do seu nascimento, fizemos uma demorada visita ao Parque Alameda e ao Convento de Santo Domingo Bonaval (Museu do Pobo Galego e Panteão dos Ilustres Galegos). Mas vamos deixar para dois futuros posts a reportagem dessas visitas.

 

Concluamos, então, a reportagem do Caminho Inglês de Santiago.

 

2.- Mapa e desníveis da etapa

 

02.- CIS - 6.jpg

 

3.- Descrição sucinta da etapa

Não fora o tempo incerto, obrigando a tirar e a por, constantemente, o impermeável da mochila por causa da chuva, esta última etapa do Caminho Inglês fez-se sem dificuldade de maior. Para além de relativamente curta, uns escassos 16,5 Km, conforme se pode verificar pelo mapa acima reproduzido, os seus desníveis são de feição moderada.

 

Os primeiros dois terços da etapa transcorreram por entre zonas rurais e de bosques (florestais) agradáveis, a par da Estrada Nacional nº 550 (N-550).

 

Os últimos 5,3 Km são em zonas industrial e urbana: num primeiro momento, pelo Polígono Industrial do Tambre; depois, ao longo das ruas dos bairros do norte de Santiago até se entrar no Centro Histórico de Santiago de Compostela.

 

Só ao Km 11,4 da etapa é que se encontra uma zona de serviço, na zona do Polígono Industrial do Tambre.

 

Contudo, a não ser o interesse paisagístico, o que contou nesta etapa foi a chegada à capital da Galiza, com a monumentalidade dos seus edifícios históricos, e o convívio com o grupo que, praticamente desde Pontedeume, cada um, embora seguindo no seu ritmo e de acordo com os seus gostos, acabaram por confraternizar nos albergues e tirar a fotografia de conjunto, que vem no fim desta reportagem: o autor desta humilde reportagem e seu companheiro (sobrinho) Florens; o «casal» Óscar (“gato”, madrileno) e Lara (barcelonesa); a nossa jovem americana, Alyson Arkelein, de Whashington DC e, por fim, o jovem casal de Ceuta, que praticamente não «descolou» de nós nesta última etapa.

 

3.1.- Sigüeiro - Polígono Industrial do Tambre

Ao atravesarmos a ponte medieval sobre o rio Tambre, em Sigüeiro,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (4).jpg

entrámos no concello de Santiago de Compostela por um caminho agradável em terra, por entre carvalhos. Em pouco tempo chegámos à Igreja de San Andrés de Barciela.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (16).jp

Subimos um pouco

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (19).jp

e atravessámos a estrada AC-250, e torcendo noventa graus, caminhámos pela passagem inferior do viaduto da autopista A-9. Olhando à nossa esquerda, o céu apresentava-se neste esplendor!

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (38).jp

Mais à frente, voltámos a encontrar a N-550. Depois de atravessarmos os lugares da paróquia de San Vicente de Marantes, a A Rua Travesa e a A Torre, passámos pela parte traseira do Hotel San Vicente, onde, na véspera, tínhamos como alternativa, ali pernoitar. Tínhamos, até aqui, percorrido, mais ou menos 5 Km.

 

Deixámos à esquerda o cruzeiro e a capela (ermida) de Nossa Senhora de Agualada,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (65a).j

onde ultrapassámos o nosso jovem casal de Ceuta.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (65b).j

Chamou-nos a tenção este pormenor da portada lateral da capela:

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (69).jp

Por uma passagem inferior, cruzámos a N-550 e, mais à frente, entrámos num caminho de terra batida, rodeado de árvores.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (80a).j

E a vénia ou a pose do jovem casal de Ceuta para o fotógrafo de serviço.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (80).jp

E o encontro e a troca normal de palavras com os habitantes do lugar, em deslocação para as suas lides nos campos. Mas este estava especialmente orgulhoso do seu «pastor alemão»!

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (90).jp

Atravessámos o lugar de Vilasuso, da paróquia de San Cristovo de Enfesta, e por debaixo do viaduto do AVE - comboio de alta velocidade - entre Santiago e Coruña.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (97).jp

Pouco depois, ao Km 7,8, atravessámos o rio Sionlla

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (111).j

para, logo a seguir a uma ligeira subida, chegarmos a O Barral, uma pequena aldeia da paróquia de San Caetano, por entre prados

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (140).j

(Prado 1)

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (140a).

 (Prado 2)

sob um céu resplandecente.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (142).j

Ao Km 11,2, com chuva miudinha continuando a cair-nos no pelo, entrámos no Café-Bar Polígono, do Polígono Industrial do Tambre.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (174).j

 

3.2.- Polígono Industrial do Tambre - Entrada da cidade de Santiago de Compostela

Depois de comermos um pequeno-almoço reforçado, e descansando um pouco, continuámos Caminho, seguindo pela via Galileo, deixando à esquerda o grande cemitério Boisaca,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (205).j

com as suas instalações funerárias,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (211).j

e, seguindo em frente, entrámos nos bairros norte do núcleo urbano de Santiago de Compostela pela rua do Tambre.

 

Virando à direita, dirigimo-nos à rua do Río (Km 13,1) e, no final desta, pela esquerda, entrámos no Camiño dos Vilares.

 

No final do Camiño dos Vilares, desembocámos no Camiño do Chan de Curros. Daqui já se podem ver as torres da Catedral. Este lugar é o «Monte do Gozo» do Caminho Inglês de Santiago.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (211a).

E Florens exuberou de alegria ao avistar as torres.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (248).j

Daqui descemos até ao Parque Pablo Iglesias, onde se encontra um aqueduto medieval, mais conhecido por Ponte Mantible, do tempo do arcebispo de Santiago, Diego Xelmírez.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (277).j

E depois seguimos pelas avenidas Castelão e Xoan XXIII até que, virando à direita, estávamos na rua da Pastoriza.

 

Passando pela rua dos Basquiños e de Santa Clara, pelo mosteiro Del Carmen,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (329).j

(Pormenor da fachada) 

chegámos à Porta da Pena,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (340).j

início do Centro Histórico de Santiago de Compostela.

 

3.3.- Centro Histórico de Santiago de Compostela - Praça do Obradoiro

Do dito «casco histórico» de Compostela,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (341).j

destacamos a fachada barroca da Igreja de San Martín Pinario,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (348).j

donde, por entre ruas e ruelas,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (375).j(Pormenor de uma fachada)

passando pela Praça das Praterías, fomos dar à imensa e buliçosa Praça do Obradoiro, centro nevrálgico, político, religioso e geográfico da cidade compostelana.

 

O tempo, conforme nos aproximávamos de Santiago, ia aliviando, raiando, em pleno, o sol. Mas, nuvens, ao longe, ameaçavam tormenta - chuva e trovoada. Mas foram só ameaças!...

 

Quando chegámos à Praça do Obradoiro o sol raiava, como também nossas almas, felizes por, pela sétima vez, pelos diferentes Caminhos de Santiago, aqui termos chegado.

 

Foi um dos dias mais movimentado que, em finais de etapa, presenciámos nesta Praça.

 

Embora não excessivamente cansados, os componentes do grupo sentaram-se na Praça, defronte da Catedral,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (407).j

(Lara e Óscar)

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (408).j

(O casal jovem de Ceuta)

observando os monumentos à sua volta

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (430).j

(Pormenor cimeiro do Pazo Raxoi)

e o movimento daquele vasto espaço cheio de agitação de pessoas, que chegavam e partiam.

 

Entretanto, despedíamo-nos da jovem americana Alyson.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (431).j

Até que também chegou a nossa vez de partir. Tirámos a fotografia da praxe do grupo.

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (466).j

E depois de obtida a «Compostela»,

2014 - CIS - 6ª etapa - Sigueiro-Santiago (467).j

e após os beijos e abraços da despedida, cada um foi tratar das suas vidas, do seu destino, do regresso a casa.

 

Nós - eu e o Florens - ainda ficámos por mais umas boas horas. Fomos almoçar e ficámos até à noite, à espera do Tópê para jantarmos os três.

 

Entretanto, aproveitámos a tarde para percorrer pormenorizadamente o Parque Alameda e visitar o Museu do Pobo Galego e o Panteão dos Ilustres Galegos, no Convento de Santo Domingo Bonaval.

 

Depois daquelas visitas, descansámos, numa esplanada nas proximidades do Convento, a beber umas «cañas», fazendo horas.

 

E acabamos esta reportagem com uma foto postada pelo Topê no seu Fecebook, nesse dia comemorativo dos seus 30 anos. Com uma «saúde» e amor à Vida!

51000.jpg

Percorreremos novos Caminhos de Santiago? Creio que por aqui ficaremos.

 

Mas, quem sabe?!...

 

Deixamos agora, para visionamento do(a) leitor(a), um singelo diaporama desta 5ª etapa do Caminho, para visionamento dos (as) nossos (as) leitores (as).

 

[Nota:- Para ouvir o diaporama, aconselha-se a tirar o som ao rádio, no canto superior esquerdo do blog].

 

 


publicado por andanhos às 22:53
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 13 de Abril de 2015

Gallaecia:- Pelos Caminho de Santiago na Galiza - Caminho Inglês - 5ª etapa - Hospital de Bruma - Sigüeiro

01.gif

  

CAMINHO INGLÊS DE SANTIAGO

 

5ª Etapa:- Hospital de Bruma - Sigüeiro

 

09.abril.2014

 

 

1.- Mapa do percurso e desníveis da etapa

 

02.- CIS - 5.jpg

 

2.- Descrição sucinta da etapa

Hoje andámos 24, 8 Km. Saímos do albergue ao raiar do sol. As povoações principais por que passámos foram O Seixo, Cabeza de Lobo, As Mámoas, Carballeira, A Rua, com o seu mártir San Paio ou Pelayo, A Senra, A Calle, com o maltratado escudo de Filipe II, de Espanha, postado no portal da Casa Maldonado, A Casanova, Ponte Pereira, Os Carrás, Baxoia, a enorme reta do dito Caminho Real, que nos leva ao Polígono Industrial de Sigüeiro, sede do concello de Oroso, e, finalmente, Sigüeiro.

 

Como se pode ver pelo mapa com os desníveis, acima reproduzido, a etapa foi relativamente «suave».

 

 

2.1.- 1º Troço:- Hospital de Bruma - A Rua

Saímos do albergue do Hospital de Bruma já com o sol a raiar por detrás da capela de San Lorenzo.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (17).jpg

Ao longo de uma estrada secundária, com o piso asfáltico em precário estado de conservação, víamos o sol nascer,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (46).jpg

e acompanhávamos as terras de cultivo, ainda cobertas com o nevoeiro matinal e os raios de sol pairando sobre elas e por entre as árvores.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (74).jpg

Ao entrarmos na povoação de O Seixo, pertencente à paróquia de San Pedro de Ardemil, estamos em território do concello de Ordes. Passado o ribeiro de Adrán, chegámos ao lugar de Cabeza de Lobo, onde se encontra a Igreja de San Pedro.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (92).jpg

Até aqui, percorremos 3 quilómetros.

 

Prosseguindo pela estrada, logo de seguida, damo-nos com uma série de esculturas, postadas na berma, e feitas por um artista local. Mostramos-lhes algumas delas.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (114).jpg

(«Quadro» 1)

 

 

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (114a).jpg

(«Quadro» 2) 

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (118).jpg

(Pormenor do «Quadro» )

Eroski, no seu relato da etapa, alude a um «divertido plesiosauro subido en alturas, que ya puestos podemos bautisar con el nombre de Nessie».

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (121).jpg

Saindo deste «museu à beira da estrada», passámos por A Carreira, As Mámoas (topónimo que faz referência a algum túmulo funerário), A Fraga

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (156).jpg

(Trecho do percurso)

e O Porto,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (166).jpg

ainda a neblina se fazia sentir nos prados. Chegados a esta localidade, havíamos percorrido 5,1 Km.

 

Logo de seguida vem Carballeira e, entrando num pinheiral, fomos sair a Os Ramos, já território da paróquia de San Paio de Buscás, e, por caminho vicinal, entrámos em A Rua.

 

Aqui fizemos uma ligeira pausa para tomarmos o nosso segundo pequeno-almoço num bar, enquanto olhávamos de «soslaio» para a «Casa Dona Maria» e o Florens tirava umas fotos ao cruzeiro do lugar. Porque, terra galega que se preze, não dispensa o seu bem esculpido cruzeiro!

 

Mas o que mais prendeu a nossa atenção foi uma singela Igreja - de San Paio ou San Pelayo, com elementos românticos,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (166a).jpg

e o seu santo, martirizado em Córdoba,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (196).jpg

com apenas 14 anos, e que podemos ver esculpido, em posição agonizante, no exterior da nave da Igreja.

 

 

2.2.- 2º Troço:- A Rua - Baxoia

Ultrapassada a Igreja de San Paio ou Pelayo, deixámos A Rua para nos dirigirmos, por asfalto, até ao lugar de Vilariño.

 

Poucos metros a seguir, deixámos o asfalto, atravessámos Ponte do Cubo, passámos por debaixo da estrada AC-224, e chegámos a Outeiro, da paróquia de San Xulián de Poulo.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (216).jpg

 (Trecho do percurso)

Antes da Casa Rural Xulian Veiras, virámos à direita e entrámos num lindo túnel de loureiros.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (254).jpg

Por prados e terras de cultivo, fomos ter a outra estrada pavimentada, atravessando os lugares de Blanca e A Senra.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (257).jpg

 Até aqui tínhamos cumprido 11 Km da nossa etapa.

Em pouco mais de 10 minutos, estávamos em A Calle. Aqui, praticamente não parámos. Conversámos apenas com esta simpática senhora que, altiva e atenta a tudo quanto se passav na rua, do alto da sua varanda,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (294a).jpg

nos deu indicação onde poderíamos apreciar a inscrição (escudo) que testemunha a passagem e pernoita do rei Filipe II, de Espanha, por esta aldeia, em 1554. Está na Casa Maldonado. Num portal de uma casa velha, que é entrada de um curral, em degradado estado de conservação. Eroski deu-nos bem as recomendações para obtermos uma melhor foto desta «obra de arte»: “así que usando la linterna del móvil o la luz del frontal y dirigindo la luz lateralmente, podremos ver las letras con detalle”. Mas a lanterna tardou em aparecer por entre o emaranhado dos objetos da mochila e o efeito que obtivemos foi bem pobre - o que agora se vê:

 

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (296).jpg

Saindo de A Calle, tínhamos cumprido 11,8 Km da etapa de hoje. Cruzámos a estrada DP-3802 e, logo de seguida, estávamos em Carballo, da paróquia de Santa Olalla de Pereira.

 

Mais um quilómetro à frente - Casanova. Ora virando à direita ou à esquerda, fomos dar a uma outra estrada sobre a ponte medieval de Pereira. A ponte é pouco visível. Tem que se parar para se poder observar. E nós continuámos... Neste ponto, tínhamos percorrido 14,5 Km.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (322).jpg

Logo a seguir à ponte medieval, depois de mais curvas e contracurvas no Caminho, passando por um arroio, entrámos em Os Carrás, da paróquia de Santa Cruz de Montaos.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (334).jpg

(Trecho do percurso)

Por um outro caminho, com árvores e espaços com sombras quanto baste,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (350).jpg

convidando-nos a um descanso,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (354).jpg

chegámos a Baxoia, lugar da paróquia de Santa María de Deixebre. Aqui já nos encontramos no território do concello de Oroso. Uma alma carinhosa, de entre algumas, poucas, que, ali como cá, a desertificação rural também se faz sentir, andavam nas lides domésticas e nos trabalhos do campo, matou-nos a sede, facilitando a ida à sua torneira de água.

 

E aqui descasámos um pouco para completarmos o último troço da nossa etapa de hoje. Tínhamos percorrido 17, 4 Km.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (382).jpg

 

2.3.- Baxoia - Sigüeiro

À saída de Baxoia, passámos por debaixo de um pequeno viaduto da AP-9 e, cerca de 600 metros à frente, numa curva de noventa graus, entrámos naquilo que lhe chamam o Caminho Real.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (392).jpg

Trata-se de um largo caminho e de uma longa reta - sem fim -

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (412).jpg

ladeado de pinheiros, de um lado, e de eucaliptos, de outro,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (412a).jpg

que nos leva até ao Polígono Industrial de Sigüeiro.

 

A meio daquela enorme reta, já com o sol a apertar connosco, fizemos uma ligeira paragem para «arejar» e refrescar os pés, junto a um marco jacobeu.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (416).jpg

Chegados ao Polígono Industrial do Sigüeiro, tínhamos andado 22, 8 Km.

 

Estávamos já perto de Sigüeiro, por onde entrámos através de um parque em que se pode ver de tudo: rio, árvores, flores, crianças brincando, adultos lendo, enfim, um encanto de parque urbano.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (490).jpg

Optámos por pernoitar em Sigüeiro, apesar das indicações que possuíamos quanto à hospedaria, uma vez que aqui - infelizmente - não há qualquer albergue.

 

Parámos à entrada de Sigüeiro, no Café Manuela, para almoçarmos.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (498).jpg

Soube-nos bem os dois ovos fritos (estrelados), com batatas e salada, acompanhados de duas «cañas». Era o que já havia àquela hora de chegada a Sigüeiro.

 

Chegados à hospedaria, depois de nos instalarmos, tomarmos banho, num quarto de banho comum, e descansarmos um pouco, fomos conhecer o centro urbano.

 

Passeámos um pouco pelas margens do rio Tambre

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (498a).jpg

e observámos a ponte que aqui o atravessa.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (519).jpg

Fomos petiscar qualquer coisa ao bar «Dreams»,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (588).jpg

em que o nome tudo tem a ver com o que lá dentro se vê,

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (570).jpg

mesmo a simpática empregada, que nos atendeu e nos tirou uma fotografia, junto de uma estátua de um índio.

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (595).jpg

Saímos do bar e percorremos um pouco mais o centro urbano de Sigüeiro. E, de um dos seus bares, encontrámos e conversámos com o nosso «casal» - o «gato» (madrileno) Óscar Quirós Garcia e a nossa simpática «Marla Lai» (Laia Parra).

 

Dirigimo-nos a um restaurante, onde satisfizemos, categoricamente, a nossa fome voraz, enquanto assistíamos a um jogo de futebol. A loucura da «bola» é a mesma por todo o lado!...

 

Regressámos à hospedaria

2014 - CIS - 5ª etapa - Bruma-Sigueiro (597).jpg

para retemperar forças para, no dia a seguir, percorrermos a última etapa do Caminho Inglês.

 

Estávamos ansiosos por chegar a Santiago. Os boletins meteorológicos sempre nos prometeram chuva para durante todas as etapas do Caminho. Mas, felizmente, não aconteceu. Mas o estado do tempo quando chegámos a Sigüeiro não era muito otimista. A chuva ameaçava mesmo...

 

Tínhamos alguns apontamentos escritos desta etapa. Mas não foi precisa a sua consulta. Passado mais de um ano, o percurso ainda «corre» vivo na nossa mente.

 

Dormimos como anjos nesta noite, embora a ameaça de chuva e trovoada fosse bem real, tal como, finalmente, o boletim meteorológico «decretava».

 

Deixamos agora, para visionamento do(a) leitor(a), um singelo diaporama desta 5ª etapa do Caminho, para visionamento dos (as) nossos (as) leitores (as).

 

[Nota:- Para ouvir o diaporama, aconselha-se a tirar o som ao rádio, no canto superior esquerdo do blog].

 

 


publicado por andanhos às 15:28
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 7 seguidores

.rádio

ouvir-radioClique no rádio para sintonizar

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15

17
18
21
22
23

25
26
27
29
30


.posts recentes

. Por terras da Ibéria - Tr...

. Por terras da Ibéria:- Ca...

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras de Portugal - ...

. Por terras de Portugal - ...

. Versejando com imagem - A...

. Por terras da Ibéria:- Ca...

. Palavras soltas... Em dia...

. Ao Acaso... Com Torga, fa...

. Reino Maravilhoso - Barro...

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

.tags

. todas as tags

.A espreitar

online

.links

.StatCounter


View My Stats
blog-logo